top of page
  • iPedal

Bicicleta Elétrica: Motor de Cubo vs Motor Central

Atualizado: 9 de fev. de 2023

Entenda por que nós da iPedal decidimos por oferecer exclusivamente o motor Central para conversão de ebike, apesar de o motor de cubo ter um custo mais baixo.


A origem do motor de cubo


Com a entrada da bicicleta elétrica no Brasil, fomos apresentados inicialmente ao motor de cubo.

E isso aconteceu por um motivo simples: é o mais barato.

Entretanto, essa tecnologia simples, que consiste basicamente em concentrar o motor e a roda no mesmo objeto se mostrou insuficiente para garantir uma boa experiência de pedalar uma ebike.


O primeiro problema é a falta de versatilidade, pois o padrão já obsoleto de catracas empregado na maioria de motores de cubo restringe a quantidade de marchas, permitindo somente os câmbios mais rudimentares de até sete marchas, inclusive a própria recém-lançada versão da Caloi Mobylette Elétrica tem exatamente esse problema como fator agravante e limitador de seu uso.


Outro problema é o comprometimento da experiência do pedal. Isso acontece devido a não haver uma relação direta entre o ato de pedalar e o funcionamento do motor, o que dá uma sensação artificial, deixando a bike mais parecida com um ciclomotor.


Outra questão é a perda de conforto, pois por fazer parte da roda, o peso do motor de cubo em movimento possui muito mais inércia, prejudicando a aceleração e também aumentando a transmissão de irregularidades para o ciclista, o que e torna a experiência menos confortável.


Finalmente, devido ao baixo aproveitamento energético, esse tipo de motor drena a bateria muito mais rapidamente.

A melhor solução de motor para bike elétrica

Mas nem tudo está perdido, o motor central aparece então com a solução para estes problemas, pois enquanto o motor de cubo atua diretamente na roda, o motor central atua ANTES do câmbio, de modo que ele usa a relação original da bike para a melhor equilíbrio entre força e velocidade.


Isso significa rodar no ponto ótimo da curva de potência do motor, onde a eficiência se torna muito alta, acima de 90%. Em comparação, um motor de cubo consegue uma eficiência próxima de 50%. Vale lembrar que em um carro flex, por exemplo, esse valor não passa de 20%.

Essa é a formidável vantagem do motor central porque com a possibilidade de usar marchas mais longas ou mais curtas, o motor ganha de longe em versatilidade tanto em baixas velocidades e ladeiras íngremes quanto em alta velocidade nas longas retas.


A potência do motor é regulada pelo ato de pedalar, o que se resume à combinação de alguns fatores:

  • Cadência da pedalada

  • Força exercida pelo ciclista

  • Nível de assistência selecionado no comando da bicicleta

  • Nível de energia da bateria (modo "reserva")

  • Velocidade da bicicleta (corte da assistência, legislação)

  • Outros que estão em desenvolvimento, como geofencing*, detecção de subida automática

O uso do motor central no universo da MTB Elétrica


pedalando bicicleta eletrica ipedal

Importante alertar que além das vantagens sinalizadas, o motor central é a versão indicada para os praticantes de mountain bike pois preserva o controle da sensibilidade do torque em relação a dinâmica do terreno da trilha, algo praticamente impossível com impulsionamento através do motor de cubo que simplesmente não suporta as vibrações decorrentes do uso fora de estrada. Isso sem falar na baixíssima tolerância à infiltração de água e poeira, que são componentes frequentes nesse tipo de atividade.

Acelerador de apoio

E embora alguns modelos também possuam, o acelerador manual é uma opção interessante para o cliente que não pode pedalar com toda a amplitude, seja uma recuperação de lesão/acidente, PcD ou pilotos da melhor idade.

Vale lembrar que as melhores ebikes dedicadas do mundo usam motor central em sua configuração.


Vantagens adicionais

  • Através do pedal assistido, existe maior faixa de torque que permite força nas ladeiras e velocidade nas retas através do uso das relações do câmbio da bicicleta.

  • Menos consumo de bateria devido ao melhor aproveitamento de torque.

  • Montagem mais simples (o controlador fica dentro do motor, desobrigando a instalação externa como nos motores para cubo).

  • Não obriga a substituição da roda (aro, raios e cubo) como no motor de cubo.

  • Garante a qualidade da experiência de pedalar devido aos sensores nos pedais que conseguem dar um caráter humanizado ao equipamento.

Conclusão

  1. O motor central possibilita uma faixa de torque maior, o que permite força nas ladeiras e velocidade nas retas através do uso das relações do câmbio da bicicleta.

  2. Menos consumo de bateria devido ao melhor aproveitamento de torque.

  3. Montagem mais simples (o controlador fica dentro do motor, desobrigando a instalação externa como nos motores para cubo).

  4. Não obriga a substituição da roda (aro, raios e cubo) como no motor de cubo.

  5. Garante a qualidade da experiência de pedalar devido aos sensores nos pedais que conseguem dar um caráter humanizado ao equipamento.

  6. A tecnologia de kit para bicicleta elétrica que usa o motor central do tipo “pendurado” utilizada na iPedal, consegue entregar por um preço muito mais competitivo, uma solução que faz bonito diante das bicicletas elétricas das grandes marcas como Specialized, Trek, e várias outras marcas boutique.


* O Geofencing permite estabelecer um perímetro de atuação para o equipamento, com desligamento automático em caso de transgressão de limite da área demarcada.




13.333 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page